BlogAKI

Finaciamento Coletivo

30/04/2012 - 10h00

Dicas de como fazer um bom vídeo para seu projeto de financiamento coletivo

Ter um vídeo legal na apresentação do seu projeto pode fazer toda a diferença. Por isso, descubra aqui algumas dicas simples de como deixá-lo mais eficaz e capriche!

É provável que, ao visitar a página de um projeto, o que mais lhe chame atenção seja o vídeo de apresentação, certo?! Por isso, podemos dizer que o vídeo de apresentação é quase como o cartão de visitas que o projeto dá aos colaborados.

Dito isso, nem é preciso falar sobre a importância de que essa primeira impressão seja a melhor possível. Mas por que um vídeo?

Porque vídeos são, de longe, a melhor maneira de demonstrar o sentimento, as motivações e a personalidade do projeto. Eles mostram o esforço do criador da causa e podem ser responsáveis pelo sucesso de determinado caso. Além disso, são também uma ótima forma de tocar as pessoas.

E se você prefere confiar nos números, eles também são bons. No financiamento coletivo, uma média de 50% dos projetos apresentados em vídeo são bem-sucedidos (contra apenas 30% dos projetos que não possuem vídeo).

Apesar de tudo indicar o quanto é necessário um bom vídeo, gravá-lo pode ser um tanto quanto intimidante. Pode ser relativamente difícil ficar parado de frente para as câmeras, mas fazê-lo é só mais um prova do quanto você se importa com seu projeto.

Colocar seu rosto no vídeo é um pequeno risco que pode trazer grandes recompensas. Por isso, tudo que você vai precisar para criar um vídeo diferenciado é de um pouco de coragem, acesso a um computador e um bocado de entusiasmo.

Como são os vídeos mais comuns encontrados no universo do financiamento coletivo:

– Montagens (aqueles bem editadinhos).

– Takes longos (e de ar meio épico).

– Alguém explicando, de maneira simples, sobre os objetivos e benefícios do projeto.

A última opção, que traz a pessoa conversando diretamente com a câmera, é a mais comum e, nem por isso, menos eficaz. Seu vídeo pode levar um longo tempo para ser gravado e editado ou pode ser feito em uma tarde. A intenção não é de que ele seja perfeito, mas que tenha a ver com você. Não existe certo ou errado, mas é preciso que ele transmita sinceridade e empatia.

E, para isso, você não pode esquecer alguns detalhes:

+ Contar quem é você

+ Contar a história por trás do seu projeto (de onde surgiu sua ideia, em que estágio ele está, o que você sente a respeito dele)

+ Peça o apoio das pessoas, explicando por que você precisa do dinheiro e o que fará com ele (os benefícios que virão a partir da realização do projeto)

+ Comente sobre as “recompensas” que aqueles que ajudarem seu projeto irão receber (use qualquer imagem que você tenha disponível para ilustrá-las)

+ Explique que, caso você não alcance seus objetivos, você não receberá nenhum apoio financeiro para realizar o projeto e isso deixará todo mundo triste

+ Por fim, agradeça a todos!

Colocar-se na frente das câmeras é mostrar para os contribuintes para quem está indo seu dinheiro, facilitando a criação de laços de confiança e empatia. Isso pode fazer toda a diferença!

Procure controlar o tempo do vídeo para que ele não fique muito extenso (em tempo e em tamanho do arquivo), e não se esqueça das leis de direito autoral com relação às músicas (o que pode gerar algumas multas nenhum pouco divertidas).

E já que falamos sobre as músicas, seguem alguns bancos que podem ajudar você na hora de escolher sua trilha sonora: SoundCloud, Vimeo Music Store e Free Music Archive.

Agora que você tem as dicas de como “otimizar” a apresentação do seu projeto, já pode começar a trabalhar nele! Esperamos poder dar um “play” em seu vídeo em breve. Boa sorte!